segunda-feira, 12 de abril de 2010

O que é Terapia de Reposição Hormonal

Se o que falta na Menopausa é o estrógeno, o mais lógico seria que a reposição hormonal com o estrógeno seja a base do tratamento. Em mulheres que ainda tem o útero é importante associar a progesterona para proteger contra o risco de câncer do endométrio.

Acredita-se que, em relação ao Sistema Nervoso Central, a deficiência estrogênica possa ser responsável por muitos sintomas referidos pelas mulheres com mais de 49-52 anos, tais como fogachos (ondas de calor), suores noturnos e, principalmente, distúrbios do humor.

Outro fator importante a considerar no tratamento de reposição hormonal é na prevenção do risco de doenças cárdio-vasculares, entre elas o infarto e o derrame. O tratamento hormonal pode reduzir as mortes por doenças cárdio-vasculares em aproximadamente 35%.

Estudos recentes revelam que o declínio da memória após a menopausa se associa à deficiência de estrogênio, a qual promove a diminuição da síntese do neurotransmissor acetilcolina e do fluxo sanguíneo cerebral.

As vantagens do tratamento de reposição hormonal seriam:

Redução do Risco de Osteoporose.

Redução dos Riscos de Doenças Cárdio-vasculares.

Melhora da Depressão.

Melhora da Atividade Sexual.

Melhora da Memória com possível prevenção da Doença de Alzheimer.

As desvantagens do tratamento de reposição hormonal seriam:

Custo do Tratamento.

Tratamento Prolongado.

Volta da Menstruação em algumas mulheres.

Agravamento da possibilidade de Câncer de Mama em mulheres suscetíveis.

Devem ser esclarecidos alguns enganos culturais sobre o tratamento hormonal. Por exemplo: sendo bem orientada e conduzida a reposição hormonal, não é verdade que o tratamento com hormônios aumenta os pelos no corpo, que engorda e que causa câncer.



Como se Administram os Hormônios

Existem diversas maneiras de se administrar hormônios, notadamente o estrógeno. Essa administração se faz por via oral, via transdérmica através de cremes ou adesivos na pele, via vaginal, injetável e por implantes subcutâneos (debaixo da pele).

No Brasil as vias mais comuns são a transdérmica e a oral, tendo sido lançado recentemente o implante subcutâneo. Pela via oral podem ser administrados comprimidos de estrógenos e de estrogênios conjugados à progesterona.

Os hormônios de uso transdérmico são feitos sob diversas formas. A mais comum delas são os adesivos, os quais devem ser colocados na pele e substituídos uma ou duas vêzes por semana. Esses adesivos podem conter só o estrógeno ou uma combinação de estrógeno e progesterona.

Outras formas de hormônios transdérmicos são os cremes e aerossóis. Esses têm o inconveniente de necessitarem o uso diário, porém, mas têm a vantagem de não descolar da pele como acontece com adesivos em algumas mulheres.

Os implantes de hormônios são colocados embaixo da pele através de uma agulha mais grossa que as agulhas de injeção e duram 6 meses.



Tratamentos não hormonais

Para as mulheres que não podem usar os estrógenos existem alternativas com medicamentos que diminuem os sintomas e/ou os efeitos da Menopausa. Esses novos medicamentos para Menupausa imitam, até certo ponto, as qualidades do estrógeno sem eventuais efeitos colaterais.

Um desses medicamentos é o raloxifeno, que é um modulador seletivo dos receptores de estrogênio (SERM).

Raloxifeno (Evista®)

O raloxifeno é um modulador seletivo dos receptores de estrógeno e funciona da mesma maneira que o estrógeno, só que sua ação é seletiva, ou seja, exerce somente os aspectos benéficos do hormônio.

O Raloxifeno tem as seguintes vantagens:

Tratamento e Prevenção da Osteoporose.

Possível Redução dos Riscos de Doenças Cárdio-vasculares.

Proteção contra o Câncer de Mama.

Proteção contra o Câncer de Endométrio.

Possível prevenção da Doença de Alzheimer.

Tem as seguintes Desvantagens:

O custo do Tratamento é alto.

Não diminui as ondas de calor

Não diminui a dor à relação sexual.

Não tem efeitos sobre a pele, vagina e a bexiga.



Outro desses medicamentos é a tibolona, um hormônio alternativo e original. Trata-se de um medicamento que imita as qualidades do estrógeno com diminuição dos efeitos colaterais.

Tibolona (Livial®)

A grande vantagem do Tibolona é sua ação específica, agindo diferentemente em cada parte do organismo. Essa substância não tem quase nenhuma ação sobre a mama e sobre o endométrio, que são os locais de risco de câncer e onde os estrógenos geralmente têm ação.

Por outro lado, o Tibolona age sobre a área da sexualidade, melhorando a libido e o desempenho.

O Tibolona tem as seguintes vantagens:

Ação específica sobre o osso, prevenindo a osteoporose.

Ação específica sobre o coração com possível redução dos riscos de doenças.

Possível nenhuma ação na Mama.

Possível nenhuma ação no Endométrio.

Possível prevenção da Doença de Alzheimer.

Aumenta a libido.

Melhora a mucosa vaginal.


Cuidados sobre a Terapia Hormonal

A Terapia de Reposição Hormonal nunca deve ser iniciada sem supervisão médica. Essa supervisão deve ser periódica, mesmo que esteja dando certo e tudo esteja bem.

A Terapia de Reposição Hormonal nunca deve ser abandonada sem a supervisão médica. As vantagens da Terapia de Reposição Hormonal só se obtêm se seu uso for supervisionado e, principalmente, continuado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário