quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

MENOPAUSA PRECOCE :

O que é a menopausa precoce?

A menopausa prematura ocorre naturalmente ou pode ser induzida por medicamentos, radioterapia ou cirurgia. Cerca de 10% das mulheres têm sua menopausa antes dos 45 anos. Dessas, menos de 2% têm uma verdadeira menopausa prematura, o que significa que sua menstruação pára por volta dos 40 anos.

A maioria dos casos de menopausa precoce é induzida e resulta de intervenção cirúrgica ou médica. A menopausa induzida pode ocorrer em qualquer idade, mas quanto mais jovem for a mulher, mais traumático e difícil será o processo.

O que é a menopausa cirúrgica?

A menopausa cirúrgica acontece quando os dois ovários são totalmente removidos e seus efeitos começam a ser sentidos no mesmo dia da cirurgia. A queda súbita dos níveis hormonais, tanto de estrogênio quanto de androgênio, obriga o organismo a ajustar-se rapidamente e podem ocorrer sintomas sérios e aflitivos. A maior parte das menopausas precoces resulta desse tipo de cirurgia, que pode ser realizada por inúmeras razões. Por exemplo: tumores e cistos - cancerosos ou não - podem destruir os ovários. Da mesma forma, em casos de inflamação pélvica grave ou crônica os ovários podem ter sido deteriorados pela infecção e precisam ser removidos. Em casos muito graves de endometriose, a remoção dos ovários pode ser uma opção, mas há risco de volta dos sintomas quando se inicia o tratamento por hormônios.

O que acontece na histerectomia?

Antigamente os cirurgiões ginecologistas costumavam recomendar a remoção dos ovários quando era feita uma histerectomia - retirada do útero. A justificativa era que os ovários não seriam mais necessários, já que não haveria mais útero para que se processasse uma gravidez. E os ovários deviam ser extirpados para reduzir o risco de uma futura doença ovariana, sobretudo câncer. Hoje, esse conceito muito, a maioria dos cirurgiões acha que não há motivo para se remover um órgão saudável e que tem a importante função de continuar a produzir hormônios essenciais até que ocorra a menopausa natural.

Depois de uma histerectomia, as mulheres tendem a entrar na menopausa cinco anos mais cedo do que entrariam normalmente. Acredita-se que isso acontece porque a cirurgia provoca uma redução no fornecimento de sangue para os ovários, mas o verdadeiro motivo ainda não foi totalmente esclarecido.

Quais são as outras causas para a menopausa precoce?

A outra importante razão médica para a menopausa induzida é resultante de tratamentos por quimioterapia ou radiação para câncer na região pélvica. Tais tratamentos podem danificar os ovários - algumas vezes temporariamente, mas quase sempre de forma permanente - e a menopausa pode acontecer imediatamente ou alguns meses depois do tratamento. Mulheres mais jovens podem optar por remover parte do tecido ovariano antes do tratamento, mantendo-o congelado para futura fertilização in vitro .

Alguns medicamentos podem causar uma menopausa temporária reversível. Essa “falsa” menopausa pode acontecer como efeito colateral de medicamentos ou como parte proposital de um tratamento, como para endometriose ou fibromas. Os primeiros medicamentos para o tratamento do câncer de mama, que costumavam provocar menopausa precoce, foram aperfeiçoados para permitir uma menopausa reversível e preservar a função ovariana. Durante o tratamento com o medicamento, a mulher ainda pode sentir sintomas da menopausa.

Efeitos

Os sintomas da menopausa precoce são idênticos aos da menopausa em geral, porém, os afrontamentos e a diminuição da libido são mais intensos se está a viver uma menopausa induzida. Para além disso, a menopausa prematura põe em risco a fertilidade de uma mulher, o que pode ser particularmente traumatizante se ainda não teve filhos. Em consequência, esta situação pode levar a mulher a questionar a sua própria feminilidade e sexualidade, desencadeando estados depressivos.


Tratamento

A terapia hormonal de substituição é o tratamento mais utilizado para tratar a menopausa, seja ela precoce ou não. Saiba ainda que as mulheres com menopausa precoce têm uma maior probabilidade de vir a sofrer de osteoporose e de doenças cardiovasculares… daí a importância da medicação e da sua toma regular. Tão importante como seguir à risca a posologia receitada pelo seu médico (e que pode estender-se durante vários anos), é manter uma atitude positiva relativamente à sua feminilidade. Não é menos feminina, nem deixou de ser mulher apenas porque está na menopausa precoce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário