quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo!!!

Todo mundo sempre costuma repetir:
"Ano-novo, vida nova".
Mas até que ponto sabemos realmente medir o peso desta afirmação e a colocamos em prática?

Se no ano que passou,
você não conseguiu atingir suas metas,
concretizar sonhos, acumulou mágoas
e não superou desafios inesperados,
agora é a hora de abrir as janelas da mente e do coração para o futuro.

É importante captar mensagens externas e não esquecer de olhar para dentro de si porque o caminho para uma vida nova passa, impreterivelmente, por nosso universo interior.

A mutação de seu momento atual, enfim, depende exclusivamente de você. Depende do seu trabalho mental, em acreditar e realizar. Nada, nem ninguém poderá fazer isso por você.

A ajuda pode, sim, vir de fora, mas o impulso deve partir de você. Independentemente de sua situação atual.

Em primeiro lugar, questione com honestidade:

"Eu realmente quero mudar minha vida?"

Se a sua resposta for afirmativa, então é hora de mexer-se porque o ano-novo está aí.
Para que isto dê realmente certo, é necessário, antes de tudo, se permitir mudar.

O próximo passo é derrubar aquelas barreiras internas tão prejudiciais, como o preconceito consigo próprio, o medo, a inveja e o rancor.

E, não esqueça, o mundo ao seu redor apenas reflete o que você é.

Feliz Ano Novo!!!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Nada mais contraditório do que "ser mulher"...



Mulher que pensa com o coração, age pela emoção e vence pelo amor.

Que vive milhões de emoções num só dia e transmite cada uma delas, num único olhar.

Que cobra de si a perfeição e vive arrumando desculpas para os erros, daqueles a quem ama.

Que hospeda no ventre outras almas, dá a luz e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou.

Que dá as asas, ensina a voar mas não quer ver partir os pássaros, mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.

Que se enfeita toda e perfuma o leito, ainda que seu amor nem perceba mais tais detalhes

Que como uma feiticeira transforma em luz e sorriso as dores que sente na alma, só pra ninguém notar.

E ainda tem que ser forte, para dar os ombros para quem neles precise chorar.

Feliz do homem que por um dia souber, entender a alma da mulher!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Tratamento para a Endometriose: laparoscopia ou medicamentos?

Laparoscopia no tratamento da endometriose é um procedimento caro, invasivo e tem indicações precisas. No estágio inicial, a doença pode ser tratada com medicamentos.

Mulheres que têm endometriose sofrem com a doença e precisam decidir, junto com seu médico e a partir dos resultados dos exames, qual o tratamento a seguir: se realiza a cirurgia laparoscópica ou um tratamento medicamentoso. Para a Dra. Rosa Maria Neme, doutora em Ginecologia, com especialização em Endometriose pela USP e diretora do Centro de Endometriose São Paulo, “existe uma forte tendência à banalização da cirurgia laparoscópica para tratar a endometriose, o que nem sempre é a melhor indicação”.

Em caso de suspeita de endometriose, o médico pode realizar um diagnóstico preditivo, que é feito através:

- do exame de toque vaginal, no qual o ginecologista pode sentir um nódulo ou cisto (sugestivo de endometriose),
- exame de sangue na época da menstruação (dosagem de um marcador chamado ca125, que apesar de não ser específico somente para esta doença pode fornecer dados sobre a agressividade da endometriose) e
- por exames de imagem (ultra-som e ressonância magnética).

A necessidade de cirurgia laparoscópica deve ser muito bem avaliada pelo especialista, pois tratamentos clínicos com medicamentos hormonais, como pílula anticoncepcional e DIU medicado com progesterona, por exemplo, podem fornecer um excelente controle dos sintomas e estabilizar a doença, em fases iniciais.

“Se for uma pequena suspeita de endometriose, começamos a tratar com medicações hormonais e mantemos o tratamento por 6 meses. Se melhorar, não há a necessidade naquele momento da laparoscopia. Se não melhorar, se indica a cirurgia”, explica Dra. Rosa Maria Neme.

Os sintomas clássicos da endometriose, como dor na menstruação, dor nas relações sexuais e infertilidade, e que não melhoram com o tratamento medicamentoso, são indicativos de laparoscopia. Além disso, se os exames de imagem, como o ultra-som e a ressonância magnética, demonstrarem endometriose em estágios avançados, também se indica a laparoscopia.

A cirurgia laparoscópica serve não só para o diagnóstico, mas principalmente para o tratamento. No momento do procedimento, todos os focos de endometriose que são evidenciados são imediatamente retirados e cauterizados. Esta é a grande vantagem de um diagnóstico preditivo bem feito, pois se sabe exatamente o que será encontrado, com a possibilidade de se fazer uma boa programação antes da cirurgia.

“A laparoscopia é um procedimento de grande dificuldade técnica, que requer profundo conhecimento da anatomia pélvica – que, muitas vezes, encontra-se bastante alterada pela intensa atividade inflamatória provocada pela doença”, completa Dra. Rosa Neme.

Para a Dra. Rosa Neme, a paciente deve buscar uma segunda opinião e conversar com seu médico, pois existe uma forte tendência na direção do estabelecimento de uma indústria da cirurgia de endometriose.

Em casos de infertilidade, ainda não há um consenso na literatura mundial se a realização da cirurgia poderia aumentar as chances de gestação espontânea. “Atualmente, há uma tendência em casos de mulheres inférteis, sem dor incapacitante e com endometriose avançada, a dar-se preferência à realização de procedimentos de reprodução assistida (como a fertilização in vitro) para se alcançar a gravidez antes de se realizar o tratamento cirúrgico”, finaliza a Dra Rosa Neme.


fonte: Revista Fator

Novos links importantes...

Site do Dr. Drauzio Varella


10 dúvidas comuns sobre a endometriose

Dicas para consulta com um médico novo

"Você precisa garantir que seu ginecologista tenha conhecimento sobre a endo, quero dizer realmente conhecer a endo. De outra forma você poderá voltar ao ínicio do processo de novo. Então pesquise e pergunte sobre o médico.

Tenha idéia do que você quer agora e do que você quer alcançar a longo prazo.

Você quer engravidar agora ou não ?

Você quer algum remédio para a dor, para parar de menstruar ? Estude todas as opções possíveis.

Você precisará passar por cirurgia ? Quais as razões e porque ? Converse com seu médico a respeito do que você quer e do que precisa ser feito.

Anote todas as dúvidas, incluindo as perguntas que quer fazer. Anote seu histórico médico por data, faça isso de modo bem simples. Coloque o nome dos médicos anteriores, o que você sabe sobre a endo. Se quiser faça uma cópia para seu médico e guarde uma com você afim de atualizar sempre. Escreva uma lista com todos os seus sintomas, e novamente faça 2 cópias, uma para você e outra para seu médico.
Tudo isso ajudará você a ganhar tempo na consulta e quando o ginecologista te perguntar sobre seu histórico você não terá esquecido de nada... e nem ele.

O seu medico dirá a você o que ele pensa sobre o tratamento que você deverá seguir, se você não concorda e pensa em fazer algo diferente, então diga. Você precisa estar apta a trabalhar junto com seu ginecologista e não lutar contra ele.

Veja as perguntas a seguir:

Você se sente confortável conversando com seu médico ?

Você acha que está participando ativamente de sua saúde com seu médico, ou você sente como se ele estivesse no comando ou inacessível ?

É importante encontrar um médico que tenha conhecimento e experiência em reconhecer e tratar a Endometriose.

Trabalhando juntos vocês pode, esperançosamente, encontrar o melhor caminho para tratar a sua endo."


Texto escrito por Ellen T.Johnson

domingo, 20 de dezembro de 2009

Links importantes sobre endometriose

Endometriose.net site do Profº Dr. Mauricio Simões Abrão

ABEND - Associação Brasileira de Endometriose


SOBENGE - Sociedade Brasileira de Endoscopia Ginecologica e Endometriose


Endometriose

Portal da Endometriose

Comunidade Endometriose sem Limites

Ser Mulher

Ser mulher é viver mil vezes em apenas uma vida, é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora, é estar antes do ontem e depois do amanhã, é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos.

Ser mulher é caminhar na dúvida cheia de certezas, é correr atrás das nuvens num dia de sol e alcançar o sol num dia de chuva.

Ser mulher é chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza, é cancelar sonhos em prol de terceiros, é acreditar quando ninguém mais acredita, é esperar quando ninguém mais espera.

Ser mulher é identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa, é ser enganada e sempre dar mais uma chance, é cair no fundo do poço e emergir sem ajuda.

Ser mulher é estar em mil lugares de uma só vez, é fazer mil papéis ao mesmo tempo, é ser forte e fingir que é frágil para ter um carinho.

Ser mulher é se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas, é distribuir emoções que nem sempre são captadas.

Ser mulher é comprar, emprestar, alugar, vender sentimentos, mas jamais dever, é construir castelos na areia, vê-los desmoronados pelas águas e ainda assim amá-las.

Ser mulher é saber dar o perdão, é tentar recuperar o irrecuperável, é entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.

Ser mulher é estender a mão a quem ainda não pediu, é doar o que ainda não foi solicitado.

Ser mulher é não ter vergonha de chorar por amor, é saber a hora certa do fim, é esperar sempre por um recomeço.

Ser mulher é ter a arrogância de viver apesar dos dissabores, das desilusões, das traições e das decepções.

Ser mulher é ser mãe dos seus filhos e dos filhos dos outros e amá-los igualmente.

Ser mulher é ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem, é desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos e fincar a bandeira da conquista.

Ser mulher é entender as fases da lua por ter suas própria fases. É ser "nova" quando o coração está a espera do amor, ser "crescente" quando o coração está se enchendo de amor, ser "cheia" quando ele já está transbordando de tanto amor e "minguante" quando esse amor vai embora.

Ser mulher é hospedar dentro de si o sentimento de perdão, é voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes coisas que nunca ficaram esquecidas.

Ser mulher é cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar as suas próprias feridas sangrando.

Ser mulher é ser princesa aos 20, rainha aos 30, imperatriz aos 40 e especial a vida toda.

Ser mulher é conseguir encontrar uma flor no deserto, água na seca e labaredas no mar.

Ser mulher é chorar calada as dores do mundo e em apenas um segundo já estar sorrindo.

Ser mulher é subir degraus e se os tiver que descer não precisar de ajuda, é tropeçar, cair e voltar a andar.

Ser mulher é saber ser super-homem quando o sol nasce e virar cinderela quando a noite chega.

Ser mulher é acima de tudo um estado de espírito, é ter dentro de si um tesouro escondido e ainda assim dividi-lo com o mundo.

* Autor desconhecido.

Escalada (essa é a tradução da letra de uma música que eu gosto muito)

Eu posso quase ver
Esse sonho que estou sonhando.
Mas tem uma voz dentro da minha cabeça dizendo
"Você nunca irá alcançá-lo"

Cada passo que eu estou dando
Cada movimento que eu faço
Parece perdido sem direção
Minha fé está abalada

Porém eu tenho que continuar tentando
Tenho que manter minha cabeça erguida
As lutas que estou enfrentando
As oportunidades que estou tendo
As vezes podem me derrubar

Mas não, eu não estou caindo
Eu posso não saber disto
Mas são esses os momentos dos quais
eu mais irei me lembrar

Só tenho que continuar
E eu tenho que ser forte.
Continuar prosseguindo
Porque

Sempre haverá uma outra montanha

E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes eu terei que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá,
Se trata do que está me esperando do outro lado.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Desistir, jamais!

"Todos nós temos a impressão de que o tempo está passando muito rápido. As horas, os dias, as semanas , os meses e os anos correm numa velocidade impressionante. Tudo vai ficando para trás; inclusive, algumas esperanças.
Entre a percepção do tempo que passa e a consciência das nossas necessidades, nasce a experiência da frustração. Não dá mais tempo!... Passou!... Ficou para trás! É tarde demais! São expressões típicas de quem percebe que os sonhos se foram!
Quaisquer que sejam nossos desejos, eles revelam nossas necessidades. Tanto as mais urgentes, como aquelas em longo prazo. A realização dos desejos é um fator crucial para a saúde emocional. Frustração e alegria não se combinam. Por isso, lutar pelo que se quer é fundamental. Desistir, jamais! Tarde demais é um tempo que não existe!
Nunca é tarde para se lutar, pela felicidade nem tampouco é tarde para se acreditar na possibilidade de mudanças e de restauração. Tarde, é um conceito de tempo presente na mente cansada dos que, por fraqueza ou medo, entregam-se ao desânimo e fazem sociedade com a derrota. A desistência é o caminho mais fácil dos que não gostam de lutar. A vida é uma maratona permanente, que condecora aqueles que jamais abandonam as pistas, ainda que cheias de obstáculos.
Duas forças interagem em nós, revigorando nossa mente e fortalecendo nosso espírito de luta. São elas: a auto-ajuda e a ajuda do alto. Somos parceiros de Deus no esforço para a superação de nossas dificuldades. Não que Deus precise de nós para fazer algo; nós é que precisamos fazer algo, por nós mesmos, com a ajuda de Deus."

"Cada um de nós deve lutar para não se entregar ao caos, à morte, ao desespero, ao abandono. É preciso mudar da mentalidade, de vocabulário e de atitudes diante das dificuldades. Quem se sente derrotado, já o é dentro de si mesmo. Quem fala positivamente colhe os frutos de um falar vitorioso. Quem toma atitudes de perseverar e levantar a cabeça, certamente verá que, tarde demais é um tempo que não existe.
Por outro lado, apesar da auto-ajuda, não nos bastamos a nós mesmos. Somos por natureza limitados. Nossa condição humana nos impõe vários limites. Daí, não podemos prescindir da ajuda do alto. Do poder e da força que jamais acabam. De um Ser que, sendo Deus, é infinito. A auto-ajuda só é eficaz com a ajuda do alto. Nunca é tarde demais!

O tempo de Deus não se esgota; a força de Deus jamais acaba; o poder de Deus é sem limites; o amor de Deus é imensurável. Creia nessas verdades! Faça do seu coração um celeiro repleto de fé e esperança. Levante a cabeça e ajude-se! Erga os braços e solte a voz suplicando a ajuda do alto e você verá que, apesar das lutas, para quem busca a Deus, tarde demais é um tempo que não existe!

(Estevam Fernandes, Pastor da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, PB, é Psicólogo Clínico e Terapeuta Familiar, conferencista nas áreas de Família e Liderança; mestre e doutorando em Ciências Sociais. Texto extraído do Jornal Correio da Paraíba, edição de domingo 22 de maio de 2005)
Texto extraído da comunidade Endometriose sem limites.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O que é Endometriose?
A doença é caracterizada pela presença de tecido, semelhante ao endométrio, fora do útero. O endométrio é o tecido que descama ao final do ciclo menstrual, caracterizando a menstruação. Na Endometriose este tecido reflui através das trompas e se implanta dentro da cavidade pélvica.

Quais os principais sintomas da doença?

O principal sintoma é a dismenorréia, ou seja, dor em forma de cólica durante o período menstrual. Com freqüência, essas cólicas podem ser progressivas, por vezes se tornam incapacitantes. A dor durante as relações sexuais também é freqüente. A doença pode se manifestar por meio da dificuldade de engravidar. A infertilidade está presente em cerca de 40% das mulheres com Endometriose. Além disso, a paciente pode apresentar dores fora da menstruação, alterações intestinais ou urinárias durante o fluxo menstrual.

Quais são as formas de tratamento?

A doença pode ser tratada cirurgicamente (laparoscopia) ou por meio de medicações. Além disso, ações que melhorem a qualidade de vida tais como exercícios, psicoterapia, são favoráveis ao tratamento.

Que exames são necessários para diagnosticar a doença?

A principal arma diagnóstica é a suspeita clínica. Um bom exame clínico pode permitir um raciocínio diagnóstico mais completo e consequentemente auxiliar na decisão terapêutica. Exames laboratoriais podem, em alguns casos, ajudar. Atualmente, há vários exames por imagem tais como ultra-som especializado, ressonância ou ecocolonoscopia que são muito úteis.

Que orgãos podem ser afetados pela doença e em que proporção?

Qualquer órgão da pelve pode ser acometido. A instalação da doença nos ovários leva a um cisto denominado endometrioma. Este cisto pode atingir grandes proporções e comprometer o futuro reprodutivo da mulher. Outros órgãos também podem ser acometidos. Parte do intestino grosso (reto e sigmóide), bexiga, apêndice e vagina podem ser sede da Endometriose. Órgãos distantes, como pulmão, pleura, sistema nervoso central, também podem ser afetados pela doença, entretanto, este fenômeno é raro.

Existem características físicas, psíquicas, comportamentais ou profissionais que determinam maior propensão da doença?

A principal característica comportamental que predispõe à doença é, sem dúvida, a postergação, cada vez mais freqüente, da maternidade. A mulher moderna tem seus filhos cada vez mais tarde e os tem em menor número, fator que predispõe à Endometriose. Vários estudos procuraram definir as características físicas e psíquicas das mulheres com Endometriose. Nenhum obteve êxito neste aspecto. Alguns indícios sugerem que mulheres ansiosas, com alto grau de estresse estão mais propensas a desenvolver a doença.

Quais os aspectos de maior gravidade da doença?

Os sintomas limitantes à vida da mulher - dor - , infertilidade e o acometimento de outros órgãos.

Existe alguma forma de prevenção contra a Endometriose?

Pode-se fazer prevenção secundária, através da obtenção de informações sobre a Endometriose e prestar atenção aos sintomas. Com a presença dos sintomas, em especial a dor, procurar um médico ginecologista com urgência, pois quanto mais cedo se detecta a doença, mais rápido um tratamento adequado poderá ser iniciado.

Endometriose tem cura?

Não. A doença pode surgir desde a primeira até a última menstruação. Assim, costuma-se dizer que a Endometriose pode ser controlada, caso seja muito bem tratada.

O que é endometriose

A Endometriose é a presença do endométrio - tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outras partes do útero ou em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos, bexiga. A Endometriose é dolorosa, pois mesmo se localizando na parte externa do útero, sofre a influência das oscilações hormonais. Isso significa que, os focos de endometriose sangram todo mês durante o seu período menstrual, mas o sangue não tem para onde ir. Além de ser dolorosa, a endometriose, também, pode tornar difícil a gravidez – uma condição conhecida como infertilidade.Embora você possa nunca ter ouvido falar dela, considera-se que a endometriose afete uma em cada dez mulheres em idade reprodutiva. A endometriose é freqüentemente diagnosticada pelos médicos durante exame ginecológico, procedimento cirúrgico ou na realização de exames de investigação de infertilidade. Para cada cinco mulheres que estejam tendo dificuldade para engravidar, duas têm endometriose. Caso sua mãe ou irmãs sofram de endometriose, é sete vezes maior a chance de você também ter esse problema. Infelizmente, muitas mulheres “sofrem em silêncio”, acreditando que seus sintomas sejam normais. Outras não apresentam sintomas.

Embora ninguém saiba ao certo como a endometriose ocorre, há duas teorias prováveis para seu desenvolvimento:

1) pedaços do tecido que reveste o útero, ao se desprenderem durante a menstruação, vão para o exterior do útero pelas tubas uterinas,

2) áreas de células no exterior do útero transformam-se em áreas de endometriose sob a influência das oscilações hormonais do ciclo menstrual. A endometriose não é uma doença transmissível e não há como prevenir seu aparecimento.

O sintoma mais comum causado pela endometiose é a dor. Esta ocorre, em geral, na parte inferior do abdômen e na pelve e pode fazer com que a relação sexual seja dolorosa. A dor começa, com freqüência, antes do início da menstruação, tornando-se progressivamente maior até o início do sangramento, diminuindo, gradativamente, após.Se a endometriose estiver localizada na bexiga ou no intestino, pode causar sintomas urinários ou intestinais durante a menstruação, como por exemplo, dor ao urinar, ou diarréia. A dor crônica pode levar a problemas como cansaço, perda do sono, alterações de humor, depressão, tensão pré-menstrual e dor lombar. O diagnóstico é feito por uma operação que se chama laparoscopia, que permite ao médico examinar a parte externa do útero, e os órgãos circunvizinhos a ele. A endometriose é freqüentemente encontrada em mulheres que não tenham obtido sucesso em engravidar.

Um pouco sobre minha luta contra a endometriose...

No final de abril desse ano senti uma dor muito forte na região do abdomem, depois de 6 horas no PS descobriram que eu tinha um cisto hemorrágico no ovário direito que media 5cm e eu estava apresentado uma infecção no sangue que poderia se espalhar para os outros orgãos, fui encaminhada pra cirurgia onde a médica viu que além do cisto eu tinha aderências no intestino, ovário e utero. Fiquei internada por 8 dias com medicação forte pra conter a infecção. Sai do hospital bem, sem nenhum sintoma, nenhuma dor. Em julho voltei a sentir fortes dores na região lombar, mas achei que fosse dor na coluna, passei no ortopedista em agosto mas o diagnóstico dele não justificava a dor que eu sentia. Depois de alguns dias a dor se localizou no baixo ventre, começou como uma cólica mas depois ela se intensificou ao ponto de ser insurportavel, os analgésicos não faziam mais efeito. Fui pro PS no dia 08/09 e depois de um ultrassom detectaram um cisto no msm ovário mas agora com quase 7cm, me desesperei e comecei a chorar. Diagnóstico do médico: endometriose severa, tratamento: cirurgico, fiquei sem chão, chorei de desespero e medo por ter que passar por tudo de novo. Sai de lá arrasada, mas um pouco aliviada por ter podido voltar pra casa e procurar minha GO pra marca a cirurgia pra outro dia, mas no dia 09/09 a dor se intensificou e o cisto tinha estourado, fui na minha médica e ela me disse que eu teria que ser submetida a cirurgia naquele msm dia, pois o caso tinha se agravado.

Na quarta-feira 09/09 as 21 horas entrei pra cirurgia, tomei 2 anestesias: Raqui e Geral. A cirurgia que era pra durar 1 hora, demorou 3 horas. No dia seguinte quando acordei a médica veio me contar como tinha sido e me deu a noticia mais triste que eu poderia ter recebido, eu não poderia mais ter filhos de forma natural, pois ela infelizmente tinha retirado meu ovário direito, um pedaço do meu ovário esquerdo e minhas trompas, e que era pra eu me preparar pois a luta seria grande a partir dali mas que eu venceria a batalha.

Como tenho enxaqueca minha médica decidiu não usar o remédio que seria indicado pro controle da doença então resolvemos colocar o DIU Mirena para tentar controla-la, mas infelizmente não está resolvendo, desde outubro minhas dores voltaram e nos ultimos dias se intensificaram, voltei na GO e depois de um exame foi detectado mais um cisto, mas agora no ovário esquerdo, vou ter que fazer outra cirurgia só 3 meses depois da ultima... Depois disso não sei o que acontecerá.

Só tenho pedido a Deus força pra suportar e ser forte daqui pra frente, pois a luta é grande...